top of page

Israel acolherá 25.000 refugiados ucranianos até que o perigo diminua

Se a luta continuar por mais de três meses, os ucranianos poderão permanecer e aceitar emprego.


Crédito: Spokesperson unit of the President of Israel - דוברות בית הנשיא (WikiCommons)



Israel receberá cerca de 25.000 cidadãos da Ucrânia, anunciou a Ministro do Interior Ayelet Shaked na terça-feira, dia 8 de março.


No primeiro e imediato estágio, Israel concederá proteção temporária de repatriação para aproximadamente 20.000 cidadãos ucranianos que estavam presentes em Israel antes do início dos combates, a maioria deles sem qualquer status legal.


“Isso será até que o perigo diminua”, disse o porta-voz de Shaked.


Também foi determinado que Israel concederá “entrada e permanência” para 5.000

refugiados ucranianos adicionais que inicialmente receberão um visto temporário por três meses.


Se os combates continuarem além desse período, todos os presentes em Israel poderão

permanecer no país e aceitar emprego.


“Todo cidadão ucraniano que quiser vir para Israel dentro da estrutura do novo programa poderá se inscrever online através do site do Ministério das Relações Exteriores. Nenhuma outra condição será necessária, exceto uma breve verificação de antecedentes”, disse o porta- voz.


“Ao mesmo tempo, os cidadãos israelenses poderão se inscrever para convidar cidadãos

ucranianos, até uma família nuclear por candidato, e terão prioridade na medida do possível, a fim de facilitar o processo de hospedagem em Israel.”


Shaked disse que, além do número sem precedentes de cidadãos ucranianos que podem permanecer em Israel até que o perigo diminua, espera-se que o país absorva nas próximas semanas e meses cerca de 100.000 ucranianos que estão fugindo dos combates, no âmbito da Lei do Retorno.


Ucranianos que fogem da guerra e têm origem judaica, junto com suas famílias, podem vir para Israel e receber cidadania plena.

12 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page