top of page

Startup israelense tornará Copa do Mundo acessível à comunidade surda

Uma startup israelense está trabalhando para tornar a Copa do Mundo FIFA 2022 no Catar acessível à comunidade surda.


A Sign Now fez sua estreia quando forneceu tradução ao vivo em linguagem de sinais durante o Festival Internacional de Música, Eurovision de 2019.



Imagem de Pexels por Pixabay.


“Milhares de surdos, vindos de todo o mundo, vão para o Catar”, disse Tomer Levy, fundador e CEO da Sign Now, ao canal de notícias i24NEWS. “De suas casas, cerca de 50 milhões de surdos assistirão aos jogos.”


O aplicativo fornece serviços de tradução de vídeo ao vivo em linguagem de sinais. Oferece uma variedade de opções de chamadas de vídeo, incluindo chamadas pré-agendadas e chamadas sob demanda.


Existem cerca de 90 milhões de surdos no mundo, cerca de 1,15% da população global.


Os surdos enfrentam desafios diários de acessibilidade porque a maioria das pessoas não fala a língua de sinais. Isso os deixa a depender fortemente de intérpretes. O Sign Now visa dar aos surdos mais independência e confiança em suas vidas cotidianas – por exemplo, ao conversar com seu médico, banco ou atendimento ao cliente.


O aplicativo será um serviço gratuito para surdos e será vendido para empresas e instituições governamentais. Também os ajuda em situações de emergência e tem ajudado pessoas surdas da Ucrânia a se comunicarem com familiares de longa distância, o Ministério das Relações Exteriores e embaixadas e serviços de emergência.


Esta não é a primeira vez que o Sign Now atende a comunidade surda em situações de emergência. O Banco HaPoalim, um dos maiores bancos de Israel, ajudou a financiar o aplicativo durante a operação militar Guardião dos Muros do ano passado, permitindo que pessoas com deficiência auditiva em Israel contatassem centros de trauma e centros de emergência e ligassem para seus entes queridos.


A Sign Now foi fundada em 2019 em Tel Aviv e conta com cerca de dez funcionários. O aplicativo ainda está em desenvolvimento.


7 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page