top of page

Parashat Chayê Sarah



Gênesis (23:1 - 25:18): As Vidas de Sarah.


Após os eventos traumáticos narrados na semana anterior (Vayerá), com a Akedah- o quase sacrifício de Yitzhak, esta parashá inicia-se relatando os anos da Vida de Sara: 127 anos. Lembramos todos os anos que muitos sábios refletiram o porquê da repetição de 100 anos, 20 anos e sete anos, no texto original hebraico, decompondo os 127 anos (וַיִּהְיוּ֙ חַיֵּ֣י שָׂרָ֔ה מֵאָ֥ה שָׁנָ֛ה וְעֶשְׂרִ֥ים שָׁנָ֖ה וְשֶׁ֣בַע שָׁנִ֑ים שְׁנֵ֖י חַיֵּ֥י שָׂרָֽה), habitualmente lembrando que ela viveu cada fase da vida de modo completo, interpretação do comentarista francês Rashi, que viveu na França no século 12, que destaca que aos 100 ela era sem erros como aos 20 e aos 20 anos bela como aos 07 anos (Rashi sobre Bereshit Rabbah 58:1).


Mas fontes do Midrash (Bereishit Rabbah 58:2) cita o Rabbi Abba Bar Kahana que refletindo que assim como o Sol se Levanta e Se põe, como descrito no Eclesiaste ( Kohelet), HaShem Não Permite a Luz de uma Pessoa Justa se Por, sem Antes Providenciar a Luz de Outra Brilhe, por isso a descrição da morte de Sarah, segue-se a descrição do nascimento dos antepassados de Rebeccah (Gen 22:20) na parashá Vayerá. Avraham compra um local, a caverna de Machpelah, situada no que hoje é Hebron, onde estão enterrados os matriarcas e patriarcas, à exceção de Rachel.


A parashá segue descrevendo que Avraham Avinu se preocupa com o legado de seu filho Itzhak e pede que seu servo senior (Eliezer) vá em busca de uma noiva, pois não deseja que Yitzhak se case com uma mulher de Canaã. Eliezer cheio de presentes, jóias e camelos, vai buscar na Terra que Avraham deixou para trás a noiva desejada. Mas logo ao chegar ao local pede por inspiração divina para encontrá-la. Mantendo-se no portão da Cidade, próximo a um poço, após alguma espera é servido por uma bela moça, Rebeccah. percebe assim que a generosidade da moça é uma sinalização de que esta deve ser a candidata ideal.


O rabino Levi Yitzhak de Berdichevsky (Império Russo, 1740-1810), comenta que o principal atributo de Avraham Avinu era אהבה, Ahavah, o amor pelas pessoas. Assim uma moça que voluntariamente se oferece para dar água aos camelos de um estranho, demonstrou o atributo de חסד‎, Chessed, compaixão. Rebeccah oferece ainda mais, refeições e abrigo à noite. Logo que ela revela sua ascendência, Eliezer descobre que a Noiva do filho de seu Mestre está na casa dos irmãos de Avraham. A bela moça aceita a proposta de casamento e segue para a casa de seu mestre, Yitzhak a toma como esposa e a ama.


Avraham também toma outra esposa, Keturah, que Rashi identifica como Hagar..

A parashá relata ainda que Avraham Avinu, morre aos 175 anos, no texto hebraico, há também a decomposição de 100 anos, 70 anos e 05 anos (וְאֵ֗לֶּה יְמֵ֛י שְׁנֵֽי־חַיֵּ֥י אַבְרָהָ֖ם אֲשֶׁר־חָ֑י מְאַ֥ת שָׁנָ֛ה וְשִׁבְעִ֥ים שָׁנָ֖ה וְחָמֵ֥שׁ שָׁנִֽים׃), descrevendo o encontro dos irmãos Yitzkah e Ismael durante o funeral, num símbolo de fraternidade.


Logo adiante é descrita a morte de Ismael, que é 14 anos mais velho que Yitzhak, com 137 anos (também descrito como 100 anos, 30 anos e 07 anos). Muitos sábios se perguntaram por que Ismael é descrito também assim. Para muitos é porque Ismael se arrependeu, mas não vendo razões para acreditar que Ismael, não fosse uma boa pessoa ( na realidade a Torah até nos diz o contrário nos episódios anteriores), considera que assim como ocorreu com Sarah que encheu seus anos de vida, como nos diz o Rabi Levi Yitschak, assim também ocorreu como Avraham e seu filho Ismael. Encher nossos anos de Vida, de Hessed, de Ahavah, são os presentes que levamos ao lermos As Vidas de Sarah.



Imagem de 41330 por Pixabay

42 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page