top of page

Parashat Vayechi

“E viveu”


Sidrá 12ª da Torá; 12ª e última do sefer Bereshit. Pessukim entre 47:28 e 50:26. Haftarah em I Melachim 2:1 – 2:12.


Imagem de Nato Pereira por Pixabay


Depois que Iaacov viveu dezessete anos em Mitzraim, e tendo cento e quarenta e sete anos, ele implora a seu filho Yossef que prometa a ele que após a sua morte, seja enterrado na Caverna Machpelá, onde jaz a família.


Depois de um tempo, Iaacov fica doente e Yossef traz seus dois filhos Menashe e Efraim para receber a bênção do patriarca. Iaacov concede aos dois netos a qualidade de filho, assim como a sua. A sucessão não era para Yossef, diretamente, mas seria recebida por seus filhos mais velhos.


Como Yaacov ficou cego, ele não reconheceu claramente os filhos de Yossef, mas os beija e os abraça, feliz por seu filho ainda estar vivo e poderoso, e por poder ver os netos do filho que um dia presumiu estar morto.


Iaacov os abençoa, começando com Efraim, o mais novo e, apesar da insistência de Yossef para que o mais velho seja abençoado primeiro, Iaacov não muda sua atitude e abençoa Efraim primeiro.


Então os filhos de Iaacov são convocados para se despedir de seu pai e serem abençoados por ele. Para cada filho uma benção de acordo com seu caráter atual, e com a qualidade futura das tribos que deles sairiam. Por fim, ele os lembra de seu desejo de ser enterrado na terra de seus ancestrais e falece.


Yossef chorou por sua morte, então ordenou que ele fosse embalsamado, enquanto todo Mitzraim chorou junto com seu vice-rei. Uma grande e digna procissão fúnebre acompanhou a família até a Caverna de Machpelá em Chevron. Após a morte de Iaacov, os irmãos temem que Yossef agora se vingue, porque o enviaram para dizer que o pai havia pedido perdão por eles. Mas Yossef responde que eles não devem temer nada, muito pelo contrário, ele vai se preocupar em prover e protegê-los, pois entende que foi H'Shem quem o mandou para Mitzraim e não apenas a inveja e ciúmes de seus irmãos.

Yossef morre em Mitzraim vendo até os bisnetos de Efraim. Antes de morrer, ele prediz que H’Shem irá tirar os judeus de Mitzraim e faz seus irmãos prometerem tirar seus restos mortais de Mitzraim. Yossef morre aos cento e dez anos de idade e é embalsamado e colocado em um sarcófago em Mitzraim.


Um dos valores judaicos é abençoar os filhos todo Shabat à noite, coma bênção “Possa o Todo-Poderoso fazê-lo como Efraim e Menashe” . Eles cresceram na diáspora sob outras influências, mas não se afastaram da Torá. Yaacov disse ao dar a bênção a Yehudá: “Yehudá é um filhote de leão”. Segundo Rashi, Yehudá elevou-se através de duas ações: evitou que que seus irmãos matassem Yossef e envergonhou-se publicamente para salvar a vida de Tamar, sua ex-nora. A importância disto é porque Yehudá se tornou o progenitor da tribo que deu origem aos futuros reis de Israel. O Pirkê Avot (Ética dos Pais) nos diz: “quem é considerada uma pessoa poderosa? … É aquela que domina seus próprios desejos”. Uma pessoa que busca a correção, sempre irá buscar a correção em todos os seus atos...


Em 47:29 tem “Se então encontrei graça a teus olhos, põe então tua mão sob minha coxa”: a coxa é o eufemismo para designar o membro viril, que traz o sinal da Aliança. A mão de Iossef colocada sob a parte íntima da pessoa de seu pai dá a seu juramento toda sua solenidade. E em 47:30 – “Eu descansarei com meus pais” – neste versículo trata-se da própria morte, e não do enterro em virtude do que vem depois: “e me carregarás do Egito e me enterrarás em sua sepultura. A expressão “deitar com seus pais” significa a morte e não a sepultura como em: ‘e David dorme (jaz) com seus pais (faleceu) e depois: “e foi sepultado na cidade de David.


Em 47:31 tem – Ele diz: “Jura-me!” ele jura. Israel se prosterna à cabeceira da cama. - Aqui a revelação é virou-se para o lado da Shechiná (Presença Divina) {Tanchuma, 3}. Os nossos sábios interpretam que a Shechiná se revela acima da cabeceira de um enfermo. {Shabat 12b}. A outra interpretação é que Iaacov se prostrou em agradecimento a D’s , porque seus filhos eram perfeitos, uma vez que nenhum deles era perverso. Mesmo Iossef tendo sido capturado e vivido entre goim(pagãos), permaneceu fiel à Torá. Este é um grande exemplo de que podemos viver na diáspora, entre não judeus e seguir com os nossos valores e práticas judaicas.


Shabat Shalom Umevorach


Referências:


  • Revista Morashá on-line

  • serjudio.com

  • Torá de Rashi

  • No princípio – André Chouraqui

  • Meór HaShabat Fax


13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires


bottom of page